PontoZurca

LATEST NEWS

ANTÓNIO e CLEÓPATRA | Festival D’ Automne à Paris

Temporada de 14 de Setembro a 8 de Outubro no Festival D’ Automne – Théâtre de la Bastille, Paris

Apresentações esgotadas

“Se dizemos um dos nomes, o outro surge de seguida. A nossa memória não consegue evocar um sem o outro. Plutarco escreveu que, a partir deles, o amor passou a ser a capacidade de ver o mundo através da sensibilidade de uma alma alheia. Misturaram amor e política e inventaram uma política do amor. São uma história de amor histórico. São um romance baseado em acontecimentos reais frequentemente romanceados. Shakespeare ergueu-lhes um monumento verbal que transformou na verdade mais verdadeira aquilo que nunca lhes aconteceu. No filme de Mankiewicz que levou a 20th Century Fox à falência, Richard Burton e Elizabeth Taylor foram o casal celuloide e real que eles nunca e sempre foram. Neste espetáculo que Tiago Rodrigues escreve e dirige, Sofia Dias e Vítor Roriz são a dupla aqui-e-agora do que eles foram ali-e-então. São e não são António e Cleópatra. São o António a ver o mundo pelos olhos da Cleópatra. E vice-versa. Sempre vice-versa. Vice-versa como regra do amor. Vice-versa como regra do teatro. Este espetáculo é ver o mundo através da sensibilidade das almas alheias de António e Cleópatra.”

texto Tiago Rodrigues com citações de António e Cleópatra de William Shakespeare (tradução de Rui Carvalho Homem)
encenação Tiago Rodrigues
cenografia Ângela Rocha
figurinos Ângela Rocha, Magda Bizarro
desenho de luz Nuno Meira
operação de som Sérgio Milhano (PontoZurca)
música excertos da banda sonora do filme Cleopatra (1963), composição de Alex North

interpretação Sofia Dias e Vítor Roriz

antonioecleopatra

ESTA É A MINHA CIDADE E EU QUERO VIVER NELA

ESTA É A MINHA CIDADE E EU QUERO VIVER NELA
criação Teatro do Vestido
direção, texto e cocriação Joana Craveiro

9 – 24 set
qua – sáb, 21h30
nas ruas de Lisboa

produção Teatro do Vestido
coprodução TNDM II
M/12

Geografias poéticas da cidade.
____________
Um manifesto poético, construído a partir das vivências do quotidiano e dos espaços da cidade. Esta é a minha cidade e eu quero viver nela é um projeto de intervenção e de questionamento que se propõe (re)descobrir Lisboa, depois de já ter mergulhado nos universos de Viseu e do Porto.

Após uma pesquisa intensiva, os intérpretes conduzem os espectadores pelas ruas, desvendando as suas memórias, ao mesmo tempo que constroem uma cidade nova. Tudo para que venham a desejar viver nela também. Uma experiência invulgar acerca da vida nas cidades.

esta-e-a-minha-cidade-e-eu-quero-viver-nela_pontozurca

Festival TODOS 2016 | Artes do Mundo em Lisboa

Criado em 2009, o TODOS-Caminhada de Culturas tem afirmado Lisboa como uma cidade empenhada no diálogo entre culturas, entre religiões e entre pessoas de diversas origens e gerações. O TODOS tem contribuído para a destruição de guetos territoriais associados à imigração, abrindo toda a cidade a todas as pessoas interessadas em nela viver e trabalhar.

Música
ORQUESTRA LATINIDADE Argentina / Brasil / Espanha / Grécia / Itália / Portugal
8 SET – 22h30
[duração 80min] M/6
Jardim do Torel – Rua Júlio de Andrade

Música
N3RDISTAN França / Marrocos
10 SET – 22h30
[duração 80min] M/6
Jardim do Torel – Rua Júlio de Andrade
N3RDISTAN_PontoZurca

Música
SAULEM’AI TOUR Bulgária / França / Mongólia
11 SET – 18h00
[duração 60min] M/3
Capela do Hospital dos Capuchos
FTODOSviolons-barbares_PontoZurca

AQUI o programa completo!

ANA MOURA Ao Vivo Meo Arena 2016 na RTP2

Transmissão de Concerto ANA MOURA Ao Vivo Meo Arena 2016 na RTP2
Gravação áudio | Nelson Carvalho
Mistura áudio | Sérgio Milhano, PontoZurca
Iluminação | Frederico Rompante, Side Effects
Vídeo | RTP
Ângelo Freire | Guitarra Portuguesa

Andre Moreira | Baixo Eléctrico
Mário Costa | Bateria
Mário Barreiros | Guitarra Eléctrica
João Gomes | Teclas
Pedro Soares | Viola
Romeu Runa | Bailarino
Sons Em Trânsito, Universal

TREVO | Concerto apresentação do álbum de estreia

Na música como em tudo na vida é preciso sorte. Gonçalo Bilé, Ivo Palitos e Ricardo Pires tiveram a fortuna de cruzar destinos musicais e influências.
O resultado é um álbum com um punhado de canções em estado puro, onde a presença das guitarras se combina com histórias que são ou já foram as nossas. Sem esconder a intenção de cruzar o rock que pisca o olho ao punk com a música tradicional, o Trevo segue no caminho de nomes como os Peste e Sida ou os Sitiados, mas com uma identidade muito própria e atual, a que se junta uma energia bem vincada no ADN. Temas como “Face Meu” entranham-se à primeira audição.
E se no fim se notar que estes três rapazes passaram muitas e boas noites da adolescência com um copo na mão a beber o som de Jorge Palma, então não é pura sorte.
Trevo nasceu agora e está pronto a colher.

Todos os detalhes para assistir ao concerto aqui!

PIERRE ADERNE | RUA DAS PRETAS estreia na SIC Notícias

A SIC Notícias estreia a 11 de Junho ( Sábado) “Rua das Pretas”, uma série de 13 episódios gravados no Rio de Janeiro, em Lisboa, em Paris e Varsóvia.

Apresentado e realizado por Pierre Aderne, em conjunto com Tito Gonzales Garcia, a série liga as quatro cidades e os dois continentes através da música e de pessoas, numa viagem que mistura culturas, descobre lugares, revela vivências, partilha canções, improvisos, conversas casuais entre artistas, cantores e compositores, violinistas e guitarristas e quem mais se quiser juntar a esta tertúlia, informal, intimista e universalista.

A viagem de Pierre Aderne e dos seus “amigos saltimbancos” começa na Serra dos Órgãos, no Rio de Janeiro, no ateliê do pintor brasileiro Gonçalo, em pleno coração da mata atlântica.

A seguir, regressa ao seu porto lisboeta, onde encontra a sua amiga Lúcia Moniz para depois seguirem juntos para Paris e Varsóvia.

RUA DAS PRETAS estreia dia 11 na SIC NOTICIAS, temporada de 13 semanas sempre aos sábados a noite com repetições às quartas 13:30.

Mistura Áudio | Sérgio Milhano PontoZurca

MARAFONA | Junho é mês de Estreia, Santos e Marchas Populares

Do álbum Está DitoMARAFONA apresenta a Improvável Toponímia da Marcha Popular, que conta com a participação de Mitó e Ana Bacalhau.

Ora escutem!

Dia 9 de Junho todos os caminhos vão ter placas a dizer MARAFONA, apontando para o Teatro da Luz em Carnide. Ou pelo menos deviam.
A partir das 15h00 em directo e ao vivo do Teatro da Luz / Antena1 no programa “Viva a Música” com Armando Carvalheda e produção de Ana Sofia Carvalheda. Junho é mês de festa!
Se não chegarem a horas, no dia 10 de Junho podem ouvir tudo à 01:00 da manhã, entre as celebrações noturnas do dia de Camões.

ANTES QUE MATEM OS ELEFANTES | Olga Roriz

Estreia absoluta do novo espectáculo de Olga Roriz
28 Abril Centro Cultural de Ílhavo

“Por onde reabrir caminho, qual o tema, a terra, o objetivo? À procura de nós, dos nossos detritos. Em frente… sempre em frente não olhar para trás. Olhos fechados sem querer pensar, o frio, o medo do frio, a fome. Ali em lugar nenhum, lugar perdido, duro, rasgado. Ali, o lugar da ânsia do desconhecido. Memórias de estômago vazio. A escuridão, o corpo colado a outro corpo e a outro e a outro… O filho de encontro ao peito, cobertor às costas e malas, sacos, bonecos, entre uma outra pequena mão de carne e osso. Pés devastados, pisados de cada poeira. As pedras…O céu espesso, um céu aberto e a cabeça a estalar. Já não se sabe da dor, já se perdeu a ira. A dúvida, a insegurança e a pequenez cansa. Perdido o mínimo poder, perdida a dignidade, cansa. Demolida a última réstia de humanidade, cansa. E porquê eu?”

Olga Roriz, out. 2015

Espectáculo comemorativo do Dia Mundial da Dança

  • Antes que Matem os Elefantes | Digressão Cia Olga Rriz
fotografias de Paulo Pimenta

Direcção: Olga Roriz
Intérpretes: Beatriz Dias, Carla Ribeiro, Marta Lobato Faria, Bruno Alexandre, Bruno Alves, André de Campos e Francisco Rolo
Selecção musical: Olga Roriz e João Rapozo
Música: Aphex Twin, Ben Frost, Dahfer Youssef, Gavin Brayers, Max Richter, Two Fingers
Cenografia e figurinos: Olga Roriz e Paulo Reis
Desenho de luz: Cristina Piedade
Vídeo e pós-produção áudio: João Rapozo
Assistente de direcção e dramaturgia: Paulo Reis
Assistente de ensaios: Raquel Tavares
Montagem e operação de luz: Manuel Alão
Montagem e operação de som: Sérgio Milhano (PontoZurca)

Companhia Olga Roriz
Directora e coreógrafa: Olga Roriz
Assessor da direcção: Paulo Reis
Produção e digressões: Ana Rocha
Gestão: Patrícia Soares
Secretariado e produção: Teresa Brito

Espetáculo desenvolvido no âmbito de residência artística realizada no Centro Cultural de Ílhavo
Co-produção: Companhia Olga Roriz e Centro Cultural de Ílhavo

Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo de Lisboa telf: 218807030 www.centroarbitragemlisboa.pt PONTOZURCA 2009