PontoZurca

LATEST NEWS

SOZINHO, COM AMOR | Encenação de Beatriz Batarda

“Sozinho, com amor” ou os gestos quotidianos do intelectual Amílcar Cabral.

Estreia 14 Julho, 19:00 Fundação Calouste Gulbenkian

Entrada livre

Baseada nas cartas de Amílcar Cabral à sua mulher, Maria Helena, uma leitura encenada que procura encontrar os ecos que Amílcar Cabral imprimiu na memória direta e indireta das nossas histórias através do som de cada voz e de cada corpo.

Amílcar Cabral foi fundador do Partido Africano para a Independência de Cabo Verde e Guiné-Bissau (1959), guerrilheiro colonizado que libertou o colonizador e foi assassinado por companheiros de luta em 1973. Estes são os ecos do seu heroísmo: “aos brancos (…) não lhes convém que estes [negros] se tornem seus concorrentes, que os filhos dos negros, evoluídos, instruídos, façam concorrência aos seus filhos na luta pela vida”. E do seu amor eterno: “Quero cantar teus olhos, teu falar/Teus gestos, teus suspiros de Mulher/Num verso só quero consumar/Toda a expressão imensa, do teu ser”.


Encenação e espaço cénico: Beatriz Batarda
Sonoplastia: Sérgio Milhano, Ponto Zurca
Com: André Simões, Beatriz Batarda, Eduardo Jaló e Flávia Gusmão
Voz gravada: Sana N’Hada

SÍNDROME | Companhia Olga Roriz

Nova criação da Companhia Olga Roriz SÍNDROME estreia no teatro S. Luiz em Lisboa dia 30 de Junho e estará em cena até dia 2 de Julho. Apresentação dia 8 de Julho no Teatro Aveirense.

Síndrome parte de Antes que matem os Elefantes transformando-o num novo espaço, solitário e individual, envolto num ambiente de utopia como uma suspensão da realidade, em busca do que ficou esquecido, do que se perdeu.
Vive-se a verdade, as expectativas, as aspirações e desencantos. Baralham-se as convenções, e faz-se daquele lugar um outro, ou apenas um palco a existir como tal, numa relação entre o ser humano, o tempo, o espaço e a matéria. Naqueles corpos reconstroem-se os afectos, o mundo imprime-se no olhar, no rosto, no corpo e nas palavras, em direcção a outros caminhos do sentir.”

Olga Roriz
17 de maio de 2017

Intérpretes | André de Campos, Beatriz Dias, Bruno Alexandre, Bruno Alves, Carla Ribeiro, Francisco Rolo, Marta Lobato Faria
Selecção musical | Olga Roriz e João Rapozo
Espaço cénico e figurinos | Olga Roriz
Desenho de luz | Cristina Piedade
Acompanhamento dramaturgico | Sara Carinhas
Pós-produção áudio | João Rapozo
Montagem e operação de luz | João Chicó, Contrapeso
Montagem e operação de som | Sérgio Milhano / Miguel Mendes, PontoZurca

sindrome_olgaroriz2_pontozurca

HÁ MÚSICA NA CASA DA CERCA | Osso Vaidoso

Concertos ao Pôr do Sol no Parque de Escultura da Casa da Cerca, Almada

Sexta-feira 23 de Junho entrada gratuita
19h Playlist de: Cáudia Dias (Coreógrafa) – “Música para os Cinco Sentidos – Tacto”
21.30h Concerto: OSSO VAIDOSO

cartaz_individual_osso_vaidoso FINALISSIMO

Concertos ao Pôr do Sol
Realizam-se no Parque de Escultura da Casa da Cerca e convidam a disfrutar da bela vista sobre o Tejo acompanhada de música: uma playlist de um convidado; um concerto ao vivo.

vídeo: Estórias da nuvem

TCHEKA Concerto ao Pôr do Sol Maio

BRUNO CAMILO Isto devia ter um nome | Live Sessions

“Live Session – Isto Devia Ter Um Nome” BRUNO CAMILO

Bruno Camilo (Voz, Guitarra Eléctrica e Piano)
Nuno Pereira (Baixo Eléctrico)
João Nunes (Guitarra Eléctrica)
Paulo Antunes (Bateria)

Gravação e mistura áudio por Sérgio Milhano no estúdio PontoZurca
Imagem por Rui Berton, Hugo Sousa e Tiago Martins
Edição por Rui Berton

Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo de Lisboa telf: 218807030 www.centroarbitragemlisboa.pt