PontoZurca

LATEST NEWS

DEOLINDA | Celebram 10 anos de carreira nos Coliseus

Os Deolinda celebram uma década de canções, concertos, discos, viagens, prémios e memórias nos Coliseus, primeiro em Lisboa, a 28 de Janeiro, depois no Porto, a 4 de Fevereiro. A escrita do guião destes dez anos encontra-se actualmente no capítulo “Outras Histórias“, o último álbum de originais de onde foram retirados os singles “Corzinha de Verão” e “Manta para dois“, e ainda o tema “A velha e o DJ” que, em colaboração com Riot (Buraka Som Sistema), acentua a faceta mais festiva e a facilidade que os Deolinda têm em estabelecer um diálogo com outros estilos musicais.

Outras Histórias” acaba de ser reeditado numa edição especial que, para além do álbum, inclui o CD com os concertos de Lisboa, no Tivoli BBVA e Porto, na Casa da Música, com a participação de Manel Cruz (Ornatos Violeta) no tema “Desavindos” e ainda versões ao vivo dos grandes sucessos dos Deolinda como “Fado Toninho“, “Movimento Perpétuo Associativo“, “Um Contra o Outro” ou” Seja Agora“, entre muitos outros.

Gravação ao vivo Auditiv (Lisboa), PontoZurca (Porto)

Mistura Sérgio Milhano, Estúdio PontoZurca

Masterização Uwe Teichert, Elektropolis Mastering Studio, BEL

DEOLINDA “Outras Histórias” edição especial com CD extra gravado ao vivo

Em abril de 2016, os Deolinda presentearam os fãs com dois concertos muito especiais, no Tivoli, em Lisboa e na Casa da Música, no Porto. Foram duas datas memoráveis, ambos com lotação esgotada, que contaram com a participação de convidados que com os Deolinda partilham a cumplicidade criativa e a admiração mútua. Motivos suficientes para terem sido captados e agora registados em CD, acompanhando, a partir de dia 2 de dezembro, o mais recente álbum da banda, “Outras Histórias”, editado inicialmente em fevereiro.

Esta será uma oportunidade para recordar as interpretações ao vivo de Manel Cruz (Ornatos Violeta), no tema “Desavindos” e de Riot (Buraka Som Sistema), numa inesperada colaboração em “A Velha e o DJ“.
Convidados também para estes dois concertos, Ana Isabel Dias e Eduardo Raon na harpa.

Ficam assim reunidos, numa só edição, os grandes sucessos dos Deolinda como “Fado Toninho“, “Movimento Perpétuo Associativo“, “Um Contra o Outro“, “Seja Agora“, ou os mais recentes “Corzinha de Verão” e “Manta para Dois“.

Gravação ao vivo Auditiv (Lisboa), PontoZurca (Porto)

Mistura Sérgio Milhano, Estúdio PontoZurca

Masterização Uwe Teichert, Elektropolis Mastering Studio, BEL

ANA MOURA Tour | Concertos Europa

Barbican Centre esgotado marca regresso de Ana Moura aos palcos europeus

Cinco meses após esgotar o Cadogan Hall, em LondresAna Moura volta à capital internacional da música para actuar no Barbican Centre, que se encontra igualmente lotado. Este concerto, que marca o regresso de Ana Moura aos palcos europeus, é mais um dos momentos altos da tour de “Moura” – o 6º álbum de originais, editado no final de Novembro do ano passado, e que em apenas duas semanas alcançou a marca de platina, tendo atingido, em Agosto, a dupla platina. Uma digressão que já soma mais de meia centena de concertos desde o seu início, em Fevereiro, no Olympia, em Paris. Desde então, Ana Moura e os seus músicos de excepção já percorreram as principais salas de espectáculos de Portugal – entre as quais a estreia no maior recinto fechado do país, a Meo Arena – e regressaram a consagrados palcos internacionais, como o Carnegie Hall em Nova Iorque.

Finda a temporada de festivais e festas ao ar livre que marcaram o Verão em território nacional, o regresso de Ana Moura à Europa faz-se numa sala com perto de 2 mil lugares, o Barbican Centre que, com a sua programação transversal, representa um dos mais notáveis pólos culturais do Reino Unido.

Em paralelo à intensa agenda de espectáculos, a maior artista portuguesa da actualidade acaba de atingir um feito assinalável: a permanência por 200 semanas consecutivas de “Desfado“, o anterior álbum de originais, no top de vendas nacional. Desde a edição de “Moura“, os dois álbuns têm coabitado nos lugares cimeiros da tabela.

26 Set > LONDRES, Barbican UK
28 Set > BERLIM, Passionskirche ALE
29 Set > BIELSKO-BIALA, Bielskie Centrum Kultury POL
01 Out > MALMO, Malmo Live SUE
02 Out > ESTOCOLMO, Konserthuset SUE

Acompanhem-nos

Ciclo Há Música na Casa da Cerca 2ª edição

Sábado dia 24 de Setembro encerraremos as sessões dos CONCERTOS AO PÔR DO SOL do ciclo Há Música na Casa da Cerca 2016. – Centro de Arte Contemporânea em Almada

19h >> Playlist “Que músicas te inspiram?” de: DJ Glue (DJ e Produtor)
21.30h >> Concerto: Bicho do Mato

capapost_pontozurca

CONCERTOS AO PÔR DO SOL:
Medeiros/Lucas
Aline Frazão
a Jigsaw & The Great Moonshiners Band
Joana Barra Vaz
Bicho do Mato

CONCERTOS INVISÍVEIS:
Ângelo Freire | Guitarra Portuguesa
Hugo Antunes | Contrabaixo
João Barradas | Acordeão

Sob o tema da exposição anual da Casa da Cerca – “A Inspiração”, partilhámos novamente em cada Concerto ao Pôr do Sol a playlist de uma personalidade convidada. “Que músicas te inspiram?” foi o ponto de partida para conhecermos as escolhas musicais dos nossos convidados entre eles actores, artistas plásticos e músicos.

Fotografias de Florbela Salgueiro | Neuza Magalhães | Nuno Realinho | Walter Sousa

ALINE FRAZÃO | Concertos INSULAR em Outubro

Aline Frazão prepara um novo espectáculo, que conta com um elenco de luxo em todas as frentes, desde os músicos até às luzes, desde a cenografia e do som até à produção. Serão 4 bonitas noites em 4 salas belíssimas.

alinefrazaocartazout_pontozurca

Produção IM.PAR
Fotografias Fradique

“Susana” é a música que encerra o Insular. Uma das mais bonitas do cancioneiro angolano, letra e música da Tia Rosita Palma, inigualável na voz da sua irmã, Belita Palma. Num terraço de Luanda, bem no final do Cacimbo, Aline e Toty Sa’Med deram-lhe vida outra vez, tal como fizeram no disco. Ao vivo, num só take, realizado por Fradique.

ALMENARA | Teatro o Bando

ALMENARA é um grande projecto com organização da Câmara Municipal de Palmela e Câmara Municipal de Lisboa/EGEAC e contempla a apresentação de 2 espectáculos que acontecem em simultâneo no dia 17 de Setembro no Castelo de Palmela e no Castelo de S. Jorge.

Em Lisboa o espectáculo ALMENARA conta com a direcção artística de Jorge Ribeiro (Companhia da Esquina) e em Palmela será João Brites (Teatro O Bando) a dirigir este grande evento que conta com a participação de mais de meia centena de participantes entre actores e músicos.

obando_almenara_pontozurca

dramaturgia e encenação JOÃO BRITES
música e direcção musical JORGE SALGUEIRO
cenografia RUI FRANCISCO
figurinos CLARA BENTO
assistência de encenação JULIANA PINHO
assistente de cinema LEVI MARTINS
desenho de luz e vídeo-mapping JOÃO CACHULO
desenho de som SÉRGIO MILHANO (PontoZurca)

ANTÓNIO e CLEÓPATRA | Festival D’ Automne à Paris

Temporada de 14 de Setembro a 8 de Outubro no Festival D’ Automne – Théâtre de la Bastille, Paris

Apresentações esgotadas

“Se dizemos um dos nomes, o outro surge de seguida. A nossa memória não consegue evocar um sem o outro. Plutarco escreveu que, a partir deles, o amor passou a ser a capacidade de ver o mundo através da sensibilidade de uma alma alheia. Misturaram amor e política e inventaram uma política do amor. São uma história de amor histórico. São um romance baseado em acontecimentos reais frequentemente romanceados. Shakespeare ergueu-lhes um monumento verbal que transformou na verdade mais verdadeira aquilo que nunca lhes aconteceu. No filme de Mankiewicz que levou a 20th Century Fox à falência, Richard Burton e Elizabeth Taylor foram o casal celuloide e real que eles nunca e sempre foram. Neste espetáculo que Tiago Rodrigues escreve e dirige, Sofia Dias e Vítor Roriz são a dupla aqui-e-agora do que eles foram ali-e-então. São e não são António e Cleópatra. São o António a ver o mundo pelos olhos da Cleópatra. E vice-versa. Sempre vice-versa. Vice-versa como regra do amor. Vice-versa como regra do teatro. Este espetáculo é ver o mundo através da sensibilidade das almas alheias de António e Cleópatra.”

texto Tiago Rodrigues com citações de António e Cleópatra de William Shakespeare (tradução de Rui Carvalho Homem)
encenação Tiago Rodrigues
cenografia Ângela Rocha
figurinos Ângela Rocha, Magda Bizarro
desenho de luz Nuno Meira
operação de som Sérgio Milhano (PontoZurca)
música excertos da banda sonora do filme Cleopatra (1963), composição de Alex North

interpretação Sofia Dias e Vítor Roriz

antonioecleopatra

ANTES QUE MATEM OS ELEFANTES | Olga Roriz

Estreia absoluta do novo espectáculo de Olga Roriz
28 Abril Centro Cultural de Ílhavo

“Por onde reabrir caminho, qual o tema, a terra, o objetivo? À procura de nós, dos nossos detritos. Em frente… sempre em frente não olhar para trás. Olhos fechados sem querer pensar, o frio, o medo do frio, a fome. Ali em lugar nenhum, lugar perdido, duro, rasgado. Ali, o lugar da ânsia do desconhecido. Memórias de estômago vazio. A escuridão, o corpo colado a outro corpo e a outro e a outro… O filho de encontro ao peito, cobertor às costas e malas, sacos, bonecos, entre uma outra pequena mão de carne e osso. Pés devastados, pisados de cada poeira. As pedras…O céu espesso, um céu aberto e a cabeça a estalar. Já não se sabe da dor, já se perdeu a ira. A dúvida, a insegurança e a pequenez cansa. Perdido o mínimo poder, perdida a dignidade, cansa. Demolida a última réstia de humanidade, cansa. E porquê eu?”

Olga Roriz, out. 2015

Espectáculo comemorativo do Dia Mundial da Dança

  • Antes que Matem os Elefantes | Digressão Cia Olga Rriz
fotografias de Paulo Pimenta

Direcção: Olga Roriz
Intérpretes: Beatriz Dias, Carla Ribeiro, Marta Lobato Faria, Bruno Alexandre, Bruno Alves, André de Campos e Francisco Rolo
Selecção musical: Olga Roriz e João Rapozo
Música: Aphex Twin, Ben Frost, Dahfer Youssef, Gavin Brayers, Max Richter, Two Fingers
Cenografia e figurinos: Olga Roriz e Paulo Reis
Desenho de luz: Cristina Piedade
Vídeo e pós-produção áudio: João Rapozo
Assistente de direcção e dramaturgia: Paulo Reis
Assistente de ensaios: Raquel Tavares
Montagem e operação de luz: Manuel Alão
Montagem e operação de som: Sérgio Milhano (PontoZurca)

Companhia Olga Roriz
Directora e coreógrafa: Olga Roriz
Assessor da direcção: Paulo Reis
Produção e digressões: Ana Rocha
Gestão: Patrícia Soares
Secretariado e produção: Teresa Brito

Espetáculo desenvolvido no âmbito de residência artística realizada no Centro Cultural de Ílhavo
Co-produção: Companhia Olga Roriz e Centro Cultural de Ílhavo

Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo de Lisboa telf: 218807030 www.centroarbitragemlisboa.pt