PontoZurca

LATEST NEWS

ANA BACALHAU TOUR Verão 2022

Ana Bacalhau apresenta ao vivo o seu recente álbum a solo “Além da Curta Imaginação”.

Misturado no Estúdio PontoZurca por Sérgio Milhano, Produtor e Técnico de Som, que também acompanha a Ana Bacalhau ao vivo.

Gravado e Produzido por | Twins
Misturado por | Sérgio Milhano no estúdio PontoZurca
Masterizado por | Christian Wright no Abbey Road Studios

MIXED Universal Music

ALINE FRAZÃO | Concerto em Lisboa

Aline Frazão apresenta o seu quinto álbum “Uma Música Angolana” dia 20 Abril no Teatro Maria Matos.

Gravado e Misturado no Estúdio PontoZurca por Sérgio Milhano, Produtor e Técnico de Som, que também acompanha a Aline Frazão ao vivo.

Álbum AuRora de Gisela João | Prémios da Música Portuguesa Play 2022

“AuRora” terceiro álbum de Gisela João, gravado no Estúdio PontoZurca em Dezembro de 2019 com Produção de Michael League e Coprodução de Nic Hard, está nomeado nas Categorias: Melhor Álbum e Melhor Álbum de FadoPrémios Play 2022

“Gisela João edita na primavera de 2021 “AuRora”, o seu terceiro álbum, gravado entre Almada e Barcelona, com produção de Michael League e co-produção de Nic Hard e da própria artista. Este é o seu registo mais pessoal e intimista, onde pela primeira vez revela os seus dotes de letrista e compositora, e canta não apenas como esperamos que cante mas para lá de tudo o que ouvimos cantar até hoje.

“AuRora” é o primeiro disco de Gisela João que apresenta essencialmente canções originais e em que partilha a autoria das letras com outros artistas, tão diversos quanto Alberto Janes, Capicua, Hernâni Correia, João Monge, Jorge Cruz, José Fialho Gouveia, Marco Pombinho e Maro. Gisela João estreia-se também na composição, ao lado de António Zambujo, Arlindo de Carvalho, Carlos Paredes, Justin Stanton, Magda Giannikou e Michael League, repetindo-se ainda os nomes de Jorge Cruz, Marco Pombinho e Maro.

Na produção do muito aguardado sucessor de Nua (2016), Gisela João colabora com Michael League, multi-instrumentista, compositor e produtor que se notabilizou como baixista e frontman dos Snarky Puppy, banda norte-americana de jazz, funk e rock instrumental, vencedora de 3 Grammy Awards. Michael League partilha a sua experiência com Gisela João: “Para mim, “AuRora” é uma obra poderosa. Ser considerada uma das mais genuínas cantoras de Fado e escolher gravar um álbum como este – que leva o género aos seus limites – requer coragem e determinação. Depois de conhecer a Gisela João, ao longo dos últimos três anos, posso afirmar que tem estes dois atributos em abundância. É do senso comum que a Gisela é Fado (“Fado é um sentimento, não um estilo” – disse-me quando começámos a trabalhar neste álbum) mas talvez muitos não saibam que é, também, muitas outras coisas: é uma pessoa destemida, que corre riscos, cuja intuição musical/emocional faz inveja a qualquer músico; é capaz de sentir, sem sombra de dúvida, quando algo está certo ou errado. O seu instinto guiou-nos do início ao fim do processo de gravação.”

RECORDED Sons Em Trânsito, Universal Music

Agora, Gisela João é também compositora. “Canção do Coração” será lembrada como a primeira música que escreveu (em parceria com o pianista Justin Stanton). Começar a carreira de compositora com um trabalho como este, tão rico e bonito, é praticamente inédito e só podemos imaginar o que ainda está por vir. Aprendi ainda mais uma coisa sobre a Gisela durante o processo de gravação – não faz nada sem dar menos de 100%.
Não existe um “modo de ensaio”, pedir-lhe que cantasse a meia-força, durante os ensaios, foi um exercício inútil porque a Gisela dá sempre tudo o que tem. Dizer que fui inspirado seria um eufemismo. Considero-me afortunado por ter feito parte de “AuRora”. Acho que o álbum capta a identidade da Gisela e aquilo que ama. Para mim, fazer álbuns, é isto.”

Álbum Debut de João Barradas | Prémios da Música Portuguesa Play 2022

“Debut” álbum solo de João Barradas, gravado e misturado no Estúdio PontoZurca por Sérgio Milhano, está nomeado na Categoria: Melhor Álbum Música Clássica e Erudita – Prémios Play 2022

João Barradas é um dos mais conceituados e reconhecidos acordeonistas europeus, movendo-se, simultaneamente, entre a música Clássica, o Jazz e a música improvisada. Venceu alguns dos mais prestigiados concursos internacionais para o seu instrumento na área da música erudita, dos quais se destacam, entre outros, o Troféu Mundial de Acordeão (CMA), que vence por duas vezes, o Coupe Mondale de Acordeão (CIA), o Concurso Internacional de Castelfidardo e o Okud Istra
International Competition.

fotografia Alfredo Matos

Barradas tem-se apresentado, enquanto solista, nas seguintes salas: Het Concertgebouw Amsterdam, Wiener Konzerthaus, Elbphilharmonie Hamburg, Kolner Philharmonie, Tonhalle Maag Zurich, Philharmonie Luxembourg, Fundação Calouste Gulbenkian Lisboa, Casa da Música Porto, Philharmonie de Paris, Konzerthaus Dortmund, L’Auditori Barcelona, Mupa Budapest, La Moanaie/De Munt, Sage Gasteshead, Stuttgart Opera House, Bozar Brussels, Sadlers’s Wells Theatre London, Onassis Cultural Center Athens, L’Arsenal Metz, Sava Center Belgrade, Centro Cultural de Belém, Tribeca Performing Arts Center New York.
Enquanto intérprete teve a seu cargo dezenas de estreias mundiais para acordeão solo escritas para ele por alguns dos mais destacados compositores europeus.
Em 2016 grava, com a editora nova iorquina Inner Circle Music, o seu primeiro álbum enquanto líder, “Directions”, que conta com a produção de Greg Osby e foi considerado um dos melhores álbuns do ano
pela revista Downbeat, aparecendo na sua prestigiada lista “Best Albums of The Year”.
Ao mesmo tempo, começa a ser mencionado por alguns dos maiores nomes do Jazz Americano, como Joe Lovano, Nicholas Payton, Randy Brecker, Lenny White ou Walter Smith III.

RECORDED, MIXED Fuga Libera

João Barradas tem colaborado com diversos músicos de renome, nomeadamente com Greg Osby, Mark Turner, Peter Evans, Aka Moon, Mike Stern, Rufus Reid, Gil Goldstein, Fabrizio Cassol, Jacob Sacks, Miles Okasaki, Jerome Jennings, Ben Van Gelder, Francesco Cafiso, Federico Malaman, Stephanne Galland, Fabian Fiorini, Michel Hatzigeorgiou, entre muitos outros.
Foi nomeado ECHO Rising Star pela European Concert Hall Organization para a temporada 2019/2020.
Nessa mesma temporada a prestigiada BBC Music Magazine nomeou João Barradas como um dos seus Rising Stars.

ALINE FRAZÃO | Álbum UMA MÚSICA ANGOLANA

“Uma Música Angolana” quinto álbum de ALINE FRAZÃO

 
Créditos:
Voz | Aline Frazão
Voz em Baúka | Nástio Mosquito
Voz em Mate | Vitor Santana
Bateria | Marcelo Araújo
Baixo | Mayo
Trompete | Diogo Duque
Piano e Fender Rhodes | Marco Pombinho
Guitarra eléctrica | Aline Frazão
Violão em “Fumo” e “Mate” | Toty Sa’Med
Violão em “Luz Foi” | Aline Frazão
Percussão | Yasmane Santos
Trombone em “Luanda” | Rúben da Luz
Violoncelo em “O Sul” | Susanne Paul
Batucada em “Mate” | Marcelo Araújo
Bombo de Maracatu em “Baúka” | Poliana Tuchia
Glockenspiel em “Mate” | Aline Frazão
Pife em “Baúka” | Diogo Duque
Coros em “Mate” | Aline Frazão, Vitor Santana e Marco Pombinho
 
 
Todas as canções assinadas por Aline Frazão, excepto:
“Batuku”: letra de Brisa Marques, música de João Pires
“Baúka”: letra de Aline Frazão e Nástio Mosquito, música de Aline Frazão
“Fumo”: letra e música de Paulo Flores
“Valsa da Libertação”: poema de Pedro Homem de Melo, música de Ricardo Ribeiro
“O Sul”: poema de Ruy Duarte de Carvalho, música de Aline Frazao
Arranjos | Aline Frazão, Marcelo Araújo, Mayo, Diogo Duque e Marco Pombinho
Produção Musical | Aline Frazão
 
 
Captação e Mistura | Sérgio Milhano, no Estúdio PontoZurca
Gravações adicionais | Hélder Albino
Masterização | Ricardo Garcia
Fotografia de capa | Estelle Valente
Make Up | Cris Severo
Design gráfico | Hilma Sassa
Vídeos e fotografias Making Of | Fradique
Produção Executiva | Aline Frazão
Editoras | Valentim de Carvalho e Flowfish
Booking | Im.Par e Handshake Booking
 
fotografias Fradique

ALINE FRAZÃO | Uma Música Angolana | Making Of

Making Of de UMA MÚSICA ANGOLANA, o novo álbum de Aline Frazão, com data de lançamento marcada para o dia 4 de Março de 2022

Episódio #1

“Este episódio foca-se no papel da banda durante a produção do disco nos estúdios da PontoZurca, em Almada (Portugal), durante o mês de Setembro de 2021. O álbum foi gravado com Marcelo Araújo na bateria, Mayo no baixo, Diogo Duque no trompete e Marco Pombinho nos teclados. Além deste elenco e da própria Aline Frazão, também participam no álbum Yasmane Santos na percussão, Rúben da Luz no trombone, Toty Sa’Med na guitarra e algumas surpresas mais que iremos revelar nos próximos episódios.”

Episódio #2

“Neste episódio mergulhamos na colecção de ritmos e géneros musicais de origem africana que habitam este álbum, revelando a secção rítmica da banda como o coração destas canções. Batuku, Massemba, Rebita, Kilapanga, Soukous, Maracatu, Afoxé… nada aqui é puro, tudo é misturado.”

Episódio #3

SUBSCREVE Aline Frazão Youtube PARA NÃO PERDERES O PRÓXIMO EPISÓDIO!

CRÉDITOS DOs VÍDEOs: Imagens Making Of gravadas por Aline Frazão, Fradique, Diogo Duque e Marco Pombinho Make Up: Cris Severo Edição: Zeno Monyak Realização: Fradique

COMÉDIA DE RUBENA | Leitura Encenada

Leitura Encenada COMÉDIA DE RUBENA de Gil Vicente

Teatro da Trindade | 21 Dezembro

No contexto da passagem de quinhentos exactos anos sobre a criação e primeira apresentação da peça RUBENA (ou COMÉDIA DE RUBENA), de Gil Vicente, o projecto 2021 – RUBENA, DE GIL VICENTE, com direcção artística de Miguel Sopas, propôs-se a criação de um objecto artístico idealizado a partir do conceito de “teatro radiofónico”.

A gravação, já realizada, será editada em suporte digital pela INCM – Imprensa Nacional-Casa da Moeda no primeiro trimestre de 2022. Para já, e não querendo perder a oportunidade de festejar os cinco séculos de um dos textos mais importantes da dramaturgia vicentina, a equipa artística do projecto junta-se em palco, num evento único, para oferecer uma leitura pública da peça com música ao vivo – no que promete ser uma animada festa vicentina com 35 intérpretes em palco!

Direcção artística | Miguel Sopas
Direcção musical | José Peixoto
Actores | Ana Guiomar, Ana Sampaio e Maia, Ana Sofia Paiva, Ana Teresa Santos, André Nunes, Andreia Valles, Carolina Salles, Cristina Cavalinhos, Cucha Carvalheiro, David Pereira Bastos, Elsa Valentim, Fabíola Lebre, Filipa Areosa, Guilherme Gomes, Helder Agapito, Inês Pereira, Joana Cotrim, João Tempera, José Raposo, José Redondo, Marques D’Arede, Miguel Raposo, Miguel Sopas, Nídia Roque, Paula Só, Pedro Filipe Mendes, Rui M. Silva, Rui Neto, Sílvia Figueiredo e Susana Blazer
Músicos | Carlos Guerreiro, José Peixoto, Mário João Santos, Tiago Morais e Sofia Queiroz Orê-ibir
Consultoria dramatúrgica | José Camões
Sonoplastia e operação de som | Sérgio Milhano, PontoZurca
Apoio à luminotecnia | Manuel Abrantes
Ilustração | Susana Carvalhinhos
Direcção de produção | Nuno Pratas/Culturproject
Parceiros: INCM – Imprensa Nacional-Casa da Moeda, CET – Centro de Estudos de Teatro da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e Teatro da Trindade INATEL
Parceiro Institucional República: Portuguesa – Ministério da Cultura
Promoção: Blackbox Lighting C.R.L.
fotografias Vitorino Coragem

Concertos 10 anos PontoZurca Editora

8 e 9 Outubro | 10 anos PontoZurca Editora | Cine Incrível, Almada

 
>> sexta-feira, 8 de Outubro, 21h30 | Concerto Aline Frazão
Comemoração do lançamento do álbum “Movimento”
 
>> sábado, 9 de Outubro, 21h30 | Concerto The Soaked Lamb
Apresentação do novo álbum “Two to Two”
 
Bilhetes: 10€ 1 dia // 15€ 2 dias
À venda Cine Incrível – Alma Danada*** e Drogaria Central Loja de Discos
*** RESERVAS Pré-pagamento:
mbw 965210300
iban PT50 0033 0000 4542 9570 9250 5
envio de comprovativo por sms ou mail
cineprograma@gmail.com
//////////////////////////////////////////////////
 

Em Outubro de 2021 a PontoZurca celebra 10 Anos de edições discográficas com os concertos de Aline Frazão e The Soaked Lamb no Cine Incrível Almadense.

Ao longo desta década editou artistas como Melech Mechaya (Aqui em Baixo Tudo é Simples – 2011 e Gente Estranha – 2014), Orquestra Todos (Intendente – 2012), The Soaked Lamb (Evergreens – 2012 e Palhaços – 2013), Aline Frazão (Movimento – 2013), Janita Salomé (Em Nome da Rosa – 2014 e Valsa dos Poetas – 2018), Marafona (Está Dito – 2016), Trevo (Trevo – 2018), entre outras edições e co-edições.

Fundada em 2009, a PontoZurca dedica-se a todas as vertentes técnicas das artes performativas na área do som. Além de Editora Discográfica independente, é também um Estúdio de Gravação Áudio por onde têm passado vários artistas consagrados do panorama nacional e internacional, uma Produtora de Espectáculos, faz Direcção Técnica e Som ao Vivo e, mais recentemente, abriu uma Loja de Discos em Almada – a Drogaria Central.

///////////////////////////////////////////////////

ALINE FRAZÃO protagoniza o primeiro espectáculo deste evento de celebração. A cantora e compositora angolana sobe ao palco para comemorar a edição do álbum “Movimento”, lançado em 2013 pela PontoZurca e que será reeditado em vinil brevemente.

Foi o seu segundo trabalho discográfico e, tendo sido um dos seus discos mais aclamados, Aline aceitou de imediato este convite para o podermos voltar a recordar, ao vivo e a cores, ao lado de outros temas emblemáticos da sua carreira que também já conta com uma década.

Além das composições de sua autoria, “Movimento” conta com uma parceria inédita com o poeta e letrista angolano Carlos Ferreira “Cassé” e com um poema de Alda Lara musicado por Aline, que também assinou a produção musical do álbum.
“Este disco foi mesmo um movimento, uma corrente que juntou muitos talentos e amizades e que leva muita vida dentro”, refere Aline, e acrescenta “Confiei muito no talento de todas as pessoas que tinha ao meu lado, no espontâneo, na ideia imprevista e nas próprias canções: elas sustentam tudo. Sente-se muito a cidade de Luanda, que é quase uma personagem invisível em todas as músicas, pois muitas delas foram escritas lá. Sentem-se também as ilhas de Cabo-Verde: a participação do Vaiss Dias e do Miroca Paris vêm dar forma e continuação à minha primeira viagem a Cabo Verde em 2012.”
 

Recordamos aqui o videoclipe do single “Tanto” da autoria do conceituado realizador angolano Fradique.

///////////////////////////////////////////////////

No dia seguinte, 9 de Outubro, é a vez dos THE SOAKED LAMB apresentarem, em absoluta estreia ao vivo, o novo álbum “Two to Two” que será lançado nesse mesmo dia nas plataformas digitais e em CD, com promessa de uma edição em vinil para breve.

A celebrarem quinze anos de carreira, este é o quarto álbum do grupo que sucede a “Homemade Blues” (2007), “Hats & Chairs” (2009) e “Evergreens” (2012).

Particularmente inspirada na música americana da primeira metade do século XX, a banda é composta por Afonso Cruz (voz, guitarra, banjo, ukulele, harmónica e lap steel), Gito (contrabaixo), Mariana Lima (voz e saxofone), Miguel Lima (bateria e percussão), Tiago Albuquerque (saxofone, guitarra, concertina, ukulele) e Vasco Condessa (piano, teclas). E ainda há um megafone envolvido.

“Este é um disco carregado do ócio, como antes era definido, que permitiu voltas e reviravoltas, gravações e regravações, epifanias e desconchavos, bem como a lentidão necessária a um desfecho que nos satisfizesse plenamente. Apesar do ócio, deu muito trabalho.”, refere a banda com o seu característico sentido de humor. E é assim que o apresentam:
“Tic-tac, tic-tac, tic-tac. O mecanismo do relógio de parede numa casa perdida noutro tempo assinala a inclemente marcha do tempo. Dois para as duas, ou, em inglês, Two to Two, a hora mais engraçada pela cacofonia que o seu som produz, mesmo sem as badaladas.

Two to Two é um disco composto por 12 temas originais, um por cada hora desse relógio. Horas que marcam mitos, monstros, pecados mortais e julgamento final, amor impossível, e outras coisas da vida e da morte. Nestas 12 músicas quisemos desacelerar o tempo até que pare. Antes que seja demasiado tarde.”

“Blá, Blá, Blá” é o single de avanço deste novo trabalho e o videoclipe é realizado por Tiago Albuquerque e Eva A.

NILSON DOURADO | Silêncio

Gravação e Mistura por Sérgio Milhano no Estúdio PontoZurca

Apresentação da campanha de pré-venda, finalização e lançamento do álbum “Silêncio”.

Campanhas:

ppl.pt/silencio

catarse.me/nilsondourado_silencio

Músicos/Artistas: Francisco Pellegrini, Walter Areia, Diogo Duque, Yedo Gibson, Raquel Reis, Marília Shanuel, Susana Travassos, Tiganá Santana

Técnicos: Sérgio Milhano (rec/mix) Frederico Cristiano (master)

Vídeo: Helena Gonçalves (camera/edição) Nilson Dourado e Helena Gonçalves (concepção/realização) Nilson Dourado (texto/voz-off)

Música: Música original de Nilson Dourado (Participação Especial: Tiganá Santana – voz)

Estúdios: PontoZurca (rec/mix) Mechanical Heart Mastering (master)

Novo álbum de GISELA JOÃO | “AuRora”

“AuRora” Produção de Michael League e Coprodução de Nic Hard

Gravado no Estúdio PontoZurca, Dezembro 2019

“Gisela João edita na primavera de 2021 “AuRora”, o seu terceiro álbum, gravado entre Almada e Barcelona, com produção de Michael League e co-produção de Nic Hard e da própria artista. Este é o seu registo mais pessoal e intimista, onde pela primeira vez revela os seus dotes de letrista e compositora, e canta não apenas como esperamos que cante mas para lá de tudo o que ouvimos cantar até hoje.

“AuRora” é o primeiro disco de Gisela João que apresenta essencialmente canções originais e em que partilha a autoria das letras com outros artistas, tão diversos quanto Alberto Janes, Capicua, Hernâni Correia, João Monge, Jorge Cruz, José Fialho Gouveia, Marco Pombinho e Maro. Gisela João estreia-se também na composição, ao lado de António Zambujo, Arlindo de Carvalho, Carlos Paredes, Justin Stanton, Magda Giannikou e Michael League, repetindo-se ainda os nomes de Jorge Cruz, Marco Pombinho e Maro.

Na produção do muito aguardado sucessor de Nua (2016), Gisela João colabora com Michael League, multi-instrumentista, compositor e produtor que se notabilizou como baixista e frontman dos Snarky Puppy, banda norte-americana de jazz, funk e rock instrumental, vencedora de 3 Grammy Awards. Michael League partilha a sua experiência com Gisela João: “Para mim, “AuRora” é uma obra poderosa. Ser considerada uma das mais genuínas cantoras de Fado e escolher gravar um álbum como este – que leva o género aos seus limites – requer coragem e determinação. Depois de conhecer a Gisela João, ao longo dos últimos três anos, posso afirmar que tem estes dois atributos em abundância. É do senso comum que a Gisela é Fado (“Fado é um sentimento, não um estilo” – disse-me quando começámos a trabalhar neste álbum) mas talvez muitos não saibam que é, também, muitas outras coisas: é uma pessoa destemida, que corre riscos, cuja intuição musical/emocional faz inveja a qualquer músico; é capaz de sentir, sem sombra de dúvida, quando algo está certo ou errado. O seu instinto guiou-nos do início ao fim do processo de gravação.”

 

Agora, Gisela João é também compositora. “Canção do Coração” será lembrada como a primeira música que escreveu (em parceria com o pianista Justin Stanton). Começar a carreira de compositora com um trabalho como este, tão rico e bonito, é praticamente inédito e só podemos imaginar o que ainda está por vir. Aprendi ainda mais uma coisa sobre a Gisela durante o processo de gravação – não faz nada sem dar menos de 100%.
Não existe um “modo de ensaio”, pedir-lhe que cantasse a meia-força, durante os ensaios, foi um exercício inútil porque a Gisela dá sempre tudo o que tem. Dizer que fui inspirado seria um eufemismo. Considero-me afortunado por ter feito parte de “AuRora”. Acho que o álbum capta a identidade da Gisela e aquilo que ama. Para mim, fazer álbuns, é isto.”

fotografias Estelle Valente

GISELA JOÃO | Apresenta single Louca

“O lançamento do novo disco de Gisela João estava inicialmente previsto para Março de 2020, mas, devido à crise de saúde pública, foi adiado para um momento de esperança. Esse momento é Abril de 2021.

Gravado entre Almada e Barcelona, “AuRora” conta com produção de Michael League e coprodução de Nic Hard e da própria Gisela João, trazendo consigo a auspiciosa promessa de dias mais luminosos. De desconfinamento. “AuRora” é também o primeiro disco em que Gisela João apresenta essencialmente canções originais e revela os seus dotes de letrista e compositora. E canta não apenas como esperamos que cante mas para lá de tudo o que lhe ouvimos cantar até hoje”.

fotografia em estúdio Estelle Valente

A nova canção “Louca” conta com letra e música de Marco Pombinho e arranjos de Michael League dos Snarky Puppy.

Produção de Michael League e Coprodução de Nic Hard

“AuRora” Produção de Michael League e Coprodução de Nic Hard

Gravado no Estúdio PontoZurca, Dezembro 2019

SÓNIA OLIVEIRA | Álbum AO VIVO

Sónia Oliveira | Voz
Carlos Garcia | Piano
Eduardo Cardinho | Vibrafone
Yuri Daniel | Baixo
Guilherme Melo | Bateria

Gravado ao vivo em Sintra por Orlando Costa

Mistura e Masterização | Sérgio Milhano no Estúdio PontoZurca

Produzido por Sónia Oliveira e Sérgio Milhano

FELIPE ANTUNES | [Modelo Guanabara]

Artigo Tenho Mais Discos Que Amigos por Tony Aiex

“Felipe Antunes se junta ao rapper Xis e canta a tristeza da escravidão na nova “Modelo Guanabara”

Vocalista do Vitrola Sintética lança um novo disco solo repleto de participações especiais.

Desde lançamento de clipe até uma colaboração internacional iniciada no Grammy, o grupo tem feito bonito em trabalhos que chamam a atenção tanto aqui dentro quanto em outros cantos do globo.

Foi justamente pensando nessa troca de ideias entre línguas, estilos e países que o vocalista Felipe Antunes convidou uma série de músicos estrangeiros para “Modelo Guanabara”, primeiro single do seu novo livro-álbum solo, CRU, a ser lançado no dia 18 de Agosto no SESC Avenida Paulista.

Pois bem, hoje temos o prazer de promover a estreia da canção por aqui e ela conta com o violoncelista holandês Tjalle Rens (que aparece em quase todo álbum), a cantora moçambicana Lenna Bahule, o artista angolano Nastio Mosquito, o rapper Xis, a cantora Kika, o violonista brasileiro Fred Martins e a leitura de um poema de sua própria autoria por Oswaldo de Camargo, nascido em Bragança Paulista onde Felipe foi criado, há 82 anos.

“Modelo Guanabara” foi inspirada no livro de Abdias Nascimento chamado O Genocídio do Negro Brasileiro: Processo de um Racismo Mascarado, e o poema “Em Maio”, gravado na faixa, sugere a não abolição da escravatura e a manutenção do Genocídio do Negro no Brasil de hoje em dia.”

Modelo Guanabara [felipe antunes / jackeline stefanski bernardes / xis]

canção do álbum-livro CRU, de Felipe Antunes [2018] Gravado no Estúdio PontoZurca

Produzido por Felipe Antunes e Sérgio Milhano

Gravações Complementares, Edições e Mixagens | Otávio Carvalho e Luca Fasano, Estúdio Submarino Fantástico São Paulo Brasil

Masterização no Red Traxx Mastering | Felipe Tichauer

VÍDEO direção de jackeline stefanski bernardes assistência de direção, filmagem e edição de lincoln pires assistência de câmera e making off de larissa souza argumento e produção de felipe antunes e jackeline stefanski bernardes gravado no estúdio 39 São Paulo | SP | Brasil 2020 com: Felipe Antunes Kika Neide Almeida Oswaldo de Camargo Xis

MÚSICA felipe antunes – voz [brasil] tjalle rens – violoncelo [holanda] participações oswaldo de camargo – voz [brasil] xis – voz [brasil] nastio mosquito – voz [angola] kika – voz [brasil] lenna bahule – voz [moçambique] fred martins – violão [brasil]

Agradecimentos: Editora Urutau, Fred Azevedo, Hugo Pachiella, Laura Salerno, Otávio Carvalho, Pedro Costa.

Tia Geni [Maria Eugênia Cirino Cardoso] canta uma cantiga popular de lavouras que aprendeu na infância. O registro foi filmado em sua casa na cidade de Alegre | Espírito Santo | Brasil em dezembro de 2017.

Tia Geni é tia de Fernando Bernardes, irmã de sua mãe, Ana Maria Bernardes, tia avó de Jackeline Stefanski Bernardes; naquela tarde em família, relembraram histórias e canções de liberdade.

ALINE FRAZÃO | Novo Single LUZ FOI

Letra e música | Aline Frazão

Voz e Violão | Aline Frazão
Baixo | Mayo
Bateria | Marcelo Araújo
Percussão | Yasmane Santos
Trompete | Diogo Duque

Gravação em Lisboa | Sérgio Milhano no Estudio PontoZurca
Captação em Luanda | Hélder Albino, Rádio Vial

Mistura | Sérgio Milhano no Estúdio PontoZurca
Masterização | Ricardo Garcia

Produção Musical | Aline Frazão

Realização | Fradique & Cafuxi
Fotografias | Cafuxi

Artwork | Fradique Videoclip: Fradique & Cafuxi

Agradecimentos Videoclip: Geração 80, Prudênciana Hach e Ery Claver

ZIGGY ALBERTS | Apresenta “TRULY ACOUSTIC” novo álbum

Australian singer-songwriter Ziggy Alberts revisits familiar tracks in a new style with surprise LP “Truly Acoustic”

Voz e Guitarra, Produção | Ziggy Alberts

Gravação, Mistura, Produção | Sérgio Milhano no Estúdio PontoZurca

Artigo em COLLIDE Media

Alberts’ takes his previous recordings, including the ARIA platinum-certified “Love Me Now” and gold-certified “Gone,” and gives them a final creative spin as he moves towards a new direction for his music.

The 9-track LP, recorded in 2019, is the perfect blend of relaxing, soulful guitar and wistful lyrics. Truly Acoustic is the perfect representation of an early sunny morning, the kind of music you can wake up to slowly. It’s beautiful and stripped down.

For Alberts, Truly Acoustic is almost like a “thank you” to the projects he’s previously released. Regarding the release, Alberts said “I had two goals in mind with this release; to enjoy the recording process, and to feel like I’d given the energy these songs deserved before moving forward. My latest album, Laps Around the Sun (2018), along with all my other releases, have brought me such great gifts. I didn’t feel like I could say goodbye to these chapters without doing this acoustic collection to pay homage to an incredible journey so far.”

Truly Acoustic was recorded in 2019 in Portugal and is out now via Alberts’ label, Commonfolk Records.

Photo by: Janneke Storm

Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo de Lisboa telf: 218807030 www.centroarbitragemlisboa.pt PONTOZURCA 2009