PontoZurca

LATEST NEWS

Colecção Yetu – A Nossa Música apresenta-se em Lisboa

No próximo dia 11 de Abril de 2015, pelas 22H40, na Sala 3 do Cinema São Jorge, em Lisboa, integrado na programação do FESTin – Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa, será lançada a Colecção Yetu – A Nossa Música, obra propriedade do Banco de Desenvolvimento de Angola e produzida pela UPF Comunicação e Relações Públicas, na qual a PontoZurca se orgulha de ter contribuído para a qualidade e beleza desta colecção.

Na mesma data será exibido, pela primeira vez em Portugal, o registo documental arquivista, do processo de trabalho que deu origem à colecção Yetu – A Nossa Música.

Yetu – A nossa Música parte do Projecto Documentar a Música de Angola, iniciado em Junho de 2013 sob encomenda do Banco de Desenvolvimento de Angola, instituição financeira pública tutelada pela Presidência da República de Angola a qual tem como objectivo apoiar o crescimento económico e sustentado do país à luz do Programa de Desenvolvimento Económico e Social do Governo e da Estratégia Nacional de Desenvolvimento de Longo Prazo.

  • Mastered
Fotografias de Gonçalo Villaverde

A colecção documental organizada de forma cronológica está assente num processo de pesquisa e documentação recolhida junto de todo o tipo de fontes – orais, escritas e sonoras– com o objectivo de reunião, recuperação e colecção – em plataforma física e digital – dos mais relevantes clássicos da música de Angola.

Trata-se de uma colecção de autor, com a assinatura do Banco de Desenvolvimento de Angola e direcção editorial e de produção da exclusiva responsabilidade da UPF Comunicação e Relações Públicas que a realizou com total independência liberdade ideológicas as escolhas, sendo responsável pelos critérios de alinhamento.

De Yetu – A Nossa Música, constam três CD de música de Angola – i) Música Tradicional; ii) Música Urbana Pré-independência; iii) e Música Urbana Pós-independência e até ao virar do seculo XX – um DVD com o registo do processo do trabalho – no qual se incluem entrevistas a músicos e registos de pesquisas em arquivos – e um Catálogo comentado com breve exposição da História da Música de Angola.

Consta ainda um sítio online sob consulta em www.bda.ao/yetu.

Janita Salomé vence Prémio Pedro Osório 2015

Janita Salomé vence o Prémio Pedro Osório 2015, atribuído pela Sociedade Portuguesa de Autores. A distinção recaiu no trabalho “Em nome da rosa”, editado pela PontoZurca, em Junho de 2014.

O prémio da SPA, com periodicidade anual e a cumprir quatro edições, é entregue dia 9 de Março, na sede dos autores.

O disco é uma viagem às raízes sefarditas do cantor/compositor, ao seu interior e à auto-superação, aspectos que perpassam a sua obra que, no dizer do próprio é: «Mais intensa que extensa.»
No presente trabalho, além de explorar o tema da rosa em oito temas originais, incluiu canções de um cancioneiro sefardita riquíssimo e relativamente pouco conhecido em Portugal.

Na cerimónia de entrega do prémio Janita compromete-se a uma curta actuação, acompanhado ao piano por Rúben Alves.

CRIOLO apresenta “Convoque Seu Buda” | Armazém F

O músico Criolo, um dos maiores nomes do actual hip hop brasileiro, regressa a Portugal para actuar a 30 de janeiro no Armazém F, em Lisboa – promotora Sons em Trânsito.

Criolo inicia em janeiro uma digressão pela Europa, com passagem por Reino Unido, França, Bélgica e Holanda, que inclui um concerto em Lisboa, com o álbum “Convoque seu buda”, editado este ano. O álbum está disponível para descarregamento gratuito na sua página oficial na Internet e revela, segundo a revista Rolling Stone brasileira, “uma nova imersão no que mais popular há na música brasileira”.

criolo

Três anos após o lançamento de “Nó Na Orelha” (2011), Criolo apresenta “Convoque seu Buda”, álbum que dá mote ao espectáculo que passa por Lisboa. O disco tem produção musical de Daniel Ganjaman e Marcelo Cabral e participações, entre outros, de nomes como Money Mark, colaborador dos Beastie Boys.

Em “Convoque Seu Buda”, Criolo e os produtores voltam a apresentar novas possibilidades ao caminho trilhado pelo rap nascido em São Paulo mas que mantém a sua raiz na periferia, afirmada na intensidade das batidas, nos versos corpulentos e nas críticas sociais contundentes. Tal como em “Nó Na Orelha”, o Brasil urbano é narrado por um letrista com olhar focado nos que não têm privilégios – do funcionário que serve festas de luxo em “Cartão de Visita”, aos meninos que seguram armas na densa “Plano de Vôo”, passando por um padeiro que não chegou ao trabalho devido às greves no samba “Fermento Pra Massa”, a um morador de rua, viciado em crack, na profética “Casa de Papelão”. Um trabalho que, ao vivo, confirma Criolo como um dos mais talentosos rappers brasileiros da atualidade.

Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo de Lisboa telf: 218807030 www.centroarbitragemlisboa.pt PONTOZURCA 2009