PontoZurca

LATEST NEWS

Olga Roriz | Estreia TERRA no CCB

Olga Roriz apresenta Terra, um projecto que assinala o regresso da coreógrafa à sua companhia e ao seu elenco de cinco bailarinos, que partem à procura do sentido e do lugar do corpo. Estreia a 11 e 12 de Julho no Grande Auditório do Centro Cultural de Belém, pelas 21h.

“A Terra, um manto espesso e sólido permanentemente activo que de uma forma poética nos irá lentamente cobrir. O Corpo, um tremor constante que se repercute das suas profundezas transpirando sons e vibrações. Terra e corpo numa paragem telúrica que se divide e confunde entre a suspensão do tempo, a acumulação do sangue, a leveza dos ossos numa visão invertida das ideias e das memórias. Matéria viva em comunhão, perfeita ou imperfeita, passiva ou conflituosa, delicada ou agreste mas sempre em constante mutação. Sempre adoradores da terra, de muitas terras.”

Direcção, Espaço Cénico e Figurinos | Olga Roriz
Intérpretes | Catarina Câmara, Maria Cerveira, Marta Lobato Faria, Bruno Alexandre, Bruno Alves
Selecção Musical | Olga Roriz e João Raposo
Música | Tchaikovsky, Ólafur Arnolds, Autechre, Senking, Henry Torgue, Laibach
Desenho de Luz | Cristina Piedade
Assistente da direção e dramaturgia | Paulo Reis
Assistente de Cenografia e Figurinos | Maria Ribeiro
Pós-produção Áudio | João Raposo
Técnico de Som | Sérgio Milhano (PontoZurca)
Técnico de Luz | Manuel Alão

Ir e Vir Abril Abrir | Teatro o Bando

Apresentação dia 20 Junho, largo da Igreja, Seixal.

Procurando uma imagem colectiva do 25 de Abril, IR E VIR será um evento musical e teatral de cerca de uma hora, onde a composição contemporânea de Jorge Salgueiro, interpretada ao vivo por uma orquestra de dezasseis músicos, se cruza com algumas canções de intervenção. Resultado do trabalho com escolas e instituições desta Região de Abril que é a Península de Setúbal, ouvir-se-ão também as vozes de um conjunto de seis actores e de mais de duas centenas de crianças que vão e que vêm, que enaltecem os dias vindouros e desdenham dos anos que passaram, que falam dos sonhos que perduram e dos sonhos que se perdem, que dialogam num gesto de resistência e celebração.

Criação | Teatro o Bando

A Acompanhante | Encenação de Gonçalo Amorim

A peça “A Acompanhante” estreará na próxima 6ª feira, dia 20 de Junho, na Sala Vermelha do Teatro Aberto às 21h30.

Toda a gente sabe que Luzia não está cá, que se mudou para Genebra e está lá muito bem. Ou será que não?
Ela, que conhece tantos nomes, tantas histórias, tantos homens, está cansada. Das rotinas, do telemóvel a tocar, dos sonhos que foram sempre tão grandes na sua cabeça e tão difíceis de viver. Da solidão que se entranhou no seu corpo.
Mas, hoje, Luzia já não vai continuar à espera: prepara-se energicamente para o grande final e, enquanto o faz, sente-se mais viva do que nunca.
Uma peça de devaneio, desespero e ternura, onde mil e uma histórias se animam nas acrobacias arriscadas e surpreendentes em que esta mulher se desdobra e se entrega a todos os desacompanhados.

Ficha Artística
Encenação GONÇALO AMORIM
Cenário e Figurinos CATARINA BARROS
Música JOANA SÁ | LUIS MARTINS
Luz JOSÉ MANUEL RODRIGUES
Sonoplastia SÉRGIO MILHANO (PontoZurca)

Com MÓNICA GARNEL

Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo de Lisboa telf: 218807030 www.centroarbitragemlisboa.pt