PontoZurca

SOZINHO, COM AMOR | Encenação de Beatriz Batarda

“Sozinho, com amor” ou os gestos quotidianos do intelectual Amílcar Cabral.

Estreia 14 Julho, 19:00 Fundação Calouste Gulbenkian

Entrada livre

Baseada nas cartas de Amílcar Cabral à sua mulher, Maria Helena, uma leitura encenada que procura encontrar os ecos que Amílcar Cabral imprimiu na memória direta e indireta das nossas histórias através do som de cada voz e de cada corpo.

Amílcar Cabral foi fundador do Partido Africano para a Independência de Cabo Verde e Guiné-Bissau (1959), guerrilheiro colonizado que libertou o colonizador e foi assassinado por companheiros de luta em 1973. Estes são os ecos do seu heroísmo: “aos brancos (…) não lhes convém que estes [negros] se tornem seus concorrentes, que os filhos dos negros, evoluídos, instruídos, façam concorrência aos seus filhos na luta pela vida”. E do seu amor eterno: “Quero cantar teus olhos, teu falar/Teus gestos, teus suspiros de Mulher/Num verso só quero consumar/Toda a expressão imensa, do teu ser”.


Encenação e espaço cénico: Beatriz Batarda
Sonoplastia: Sérgio Milhano, Ponto Zurca
Com: André Simões, Beatriz Batarda, Eduardo Jaló e Flávia Gusmão
Voz gravada: Sana N’Hada

Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo de Lisboa telf: 218807030 www.centroarbitragemlisboa.pt